Arquiteto, você já estruturou seu negócio? – Saiba como fazer!

Nós, Arquitetos, sempre pensamos estrategicamente na hora de compor nossos projetos. Imaginamos um partido, desenvolvemos uma estrutura, uma forma, conceito, enfim. Mas será que concebemos com a mesma acuidade a composição do nosso negócio? Será até que sabemos como funciona isto?

Mais e mais tem se procurado formas de se profissionalizar a atuação no mercado de Arquitetura. Porém, apenas uma pequena parcela dos Arquitetos sabe, exatamente, como fazer isto.

Os 4 P´s do Marketing

Dentro do universo do marketing, esse conceito dos 4 P’s é bastante popular e também é chamado do Mix de Marketing. São eles: Produto, Preço, Praça e Promoção. Eles são considerados os pilares de toda a estratégia de marketing.

No entanto, no ambiente da Arquitetura, existem adaptações mais apropriadas para atender as demandas de construção de um negócio com um marketing que faça o que todo negócio precisa: vender.

Sendo assim, resolvemos atribuir os 4 P’s do Marketing de Arquitetos.

  1. Posicionamento

Eu costumo a dizer que este é o princípio de qualquer estratégia de marketing para arquitetos ou empresas do ramo. A primeira pergunta que o Arquiteto deve responder é: “Quem sou Eu?”

É um exercício interessante perceber que na maioria dos sites de empresas de Arquitetura a mensagem (às vezes, explícita) é: “Fazemos de tudo”. Pode parecer, à primeira vista, uma atitude muito interessante, do ponto de vista do marketing, já que a pretensa mensagem é a de que ‘não recusamos ninguém’.

O problema dessa mensagem é que ela não agrega confiança. Algum de nós já se sentiu à vontade em contratar um encanador, que além disto se diz eletricista, pedreiro, pintor e que, com sorriso nos olhos, fala para nós na hora da proposta “…faço de tudo, patrão”?

Muita calma nessa hora.

Portanto, ser um generalista não é, exatamente, uma posição. É o receio óbvio de ter que se dedicar a apenas um nicho de mercado, apenas uma estratégia de direcionamento para sua empresa ou atividade autônoma.

Não se engane: não é regra, porém este é um dos motivos mais fortes pelo qual muitos arquitetos não conseguiram se destacar na profissão.

  1. Processo

Muitos arquitetos pensam que o Processo de Venda, ou Processo de Qualidade, ou Processo de Produção sejam atributos que devem ser definidos apenas por médias ou grandes empresas de Arquitetura. E mesmo estes, quando concebem esse processo, descrevem atividades óbvias, as quais são as que qualquer cliente espera que seja executada.

Empresas e profissionais mais atualizados até mesmo nomeiam os seus processos. Isto, além de diferenciar sua empresa diante dos outros concorrentes, cria uma visão interna a ser consumida pelos colaboradores desenvolvendo, além da marca, a Cultura da Empresa.

A Apple é um bom exemplo para se entender essa lógica de Cultura da Empresa moldando o Processo e Posicionamento da mesma. Um desses critérios foi o que a estética definiria o caráter dos produtos. Quando Steve Jobs resolveu redefinir a cultura da sua empresa, alterou essencialmente o processo definindo que os Designers sempre teriam a palavra final na concepção dos produtos, trazendo sempre muito mais trabalho para o setor da Engenharia.

Isto trouxe excelência de posicionamento.

Há várias maneiras de rotular um processo, mas o essencial é conhecer seu público e, a partir de aí nomeá-lo para possuir esse nicho. Qual nome você poderia dar seu processo para atrair sua base de clientes? Seu processo pode ter quatro ou cinco passos, e você pode apenas explicá-lo em palavras breves.

Steve-Jobs

  1. Profissionais

É muito comum algumas empresas do setor da indústria se utilizarem da seguinte mensagem: “Nosso Pessoal é nosso maior ativo”. É uma grande verdade.

Bons profissionais fazem toda a diferença em qualquer processo e têm grande potencial de promover um bom posicionamento de mercado. No entanto, poucas empresas dão atenção de fazer um perfil dos seus profissionais. Mesmo os arquitetos autônomos que divulgam seus sites não fazem ou não sabem fazer uma boa apresentação de suas capacidades e história para apreciação dos seus clientes.

Lembre-se: pessoas se relacionam com pessoas. Todo processo humano, até nos negócios, precisa da representação de um rosto humano.

Portanto, humanize as relações do público-alvo com sua empresa. Mesmo que ela seja apenas você. Isto não se trata de criar um currículo formal. Mas humanizar as experiências e trazê-las à percepção dos clientes que se relacionam com você ou sua empresa.

Uma boa dica é se sua empresa permitir, tire uma foto profissional do ambiente de trabalho e coloque no site da empresa. Mesmo que tenha poucos profissionais, isso atrai bastante as pessoas e demonstra bastante a cultura da empresa e dos profissionais.

  1. Portfolio

Bons Portfolios são essenciais para qualquer arquiteto ou empresa. Somos profissionais criadores de experiências onde a mais forte delas é através da imagem. Portanto, um bom Portfolio não deve ser desprezado.

Entretanto, nem todos sabem como promover uma boa experiência através dessas peças de promoção tão importante para arquitetos. Eis um dos mais recorrentes equívocos na concepção: descrição.

Sim, é importante dizer que aquele edifício tem 48 salas, quadra de esportes, 8 pavimentos, etc. e etc.. Porém, o foco para os clientes será sempre baseado nos benefícios.

Por que dizer sobre um hotel: “Os arquitetos do arquiteto renovaram um hotel de 4 andares de 120 quartos com restaurante, loja de convenções e piscina coberta. A fase de programação e design conceitual do hotel foi concluída conforme o cronograma e o projeto atingiu o orçamento. Além das atualizações de salas, o programa exigiu tecnologia em salas de conferência, e os espaços de suporte e administração, como salas de trabalho, escritórios, armazenamento e banheiros dos funcionários, foram remodelados. ”?

Focando nossos benefícios, seria mais interessante citá-los:

  • A ocupação saltou em 20%
  • O restaurante de serviço completo e a mini loja de conveniência adicionaram 10% de potencial de receita adicional
  • O projeto LEED reduziu os custos de energia em 7% no primeiro ano
  • Os resultados da pesquisa de satisfação dos visitantes melhoraram de 6,7 para 8,9

É importante perceber esse potencial de privilegiar os benefícios aos clientes. Além disto, sempre criar parágrafos curtos e diretos. As imagens sempre falarão mais.

Diferenciação é a chave

Esses 4 P’s de Marketing para arquitetos são a comunicação essencial para gerar uma diferenciação de mercado para profissionais e empresas diante dos clientes em potencial. Pode demorar um pouco reformular descrições, criar processos e delinear um posicionamento. Porém, isso estabelecerá as bases para um negócio de Arquitetura mais sólido e profissional, gerando uma identidade empresarial de destaque no mercado.

ass-nda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s